Mr. Baker amplia espaço e ofertas

Pense em um cantinho com cara de Califórnia no coração do Itaim. Assim é a padaria Mr. Baker, que comemora o segundo ano de vida com expansão. Ali estão as mesas compartilhadas, os balcões de madeira de demolição, as paredes de tijolinho à vista, os clientes bonitões com cara de “eu seu aproveitar a vida” e, claro, os pães e sucos orgânicos que mais do que justificam a visita.

Mr. Baker: padaria gouret com clima de deli californiana no coração do Itai

Mr. Baker: padaria gourmet com clima de deli californiana no coração do Itaim. Foto: Dennis Freeman

Ao agregar a área que antes pertencia a uma loja de roupas infantis, a casa criada pelos globetrotters Leslye e Dennis Freeman (ela italiana, ele inglês) dobrou de tamanho e quintuplicou a capacidade de produção. O resultado – fora mais espaço para a clientela, que ainda assim não deixa as mesas ficarem vazias por muito tempo, mesmo nos dias de semana – é a ampliação da própria oferta.

Agora com o dobro do espaço, a Mr. Baker pode quintuplicar a produção

Agora com o dobro do espaço, a Mr. Baker pode quintuplicar a produção. Foto: Dennis Freeman

Financiers e bolos incríveis fazem parte da oferta na vitrine da Mr. Baker

Financiers e bolos incríveis fazem parte da oferta na vitrine da Mr. Baker

Às pizzas com massa de focaccia que já fazem sucesso à noite (de R$ 41 a R$ 55, inteira), os sócios Ted Thomé e Flávia Menezes decidiram acrescentar massas especiais (caso do agnolotti de burrata com lascas de limão siciliano e o redondito de brie com alcachofra ao tartufo, R$ 29,90 cada) e, em breve, risotos, na hora do almoço.

Servida durante todo o dia, a focaccia vira base para pizza, à noite

Servida durante todo o dia, a focaccia vira base para pizza, à noite

Como se não bastasse, o padeiro Gilson Santos – que já produz pães com farinha orgânica para o Butchers Market, o BOS BBQ e o The Dog Haüs – ainda deverá lançar uma linha de produtos sem glúten, feitos com farinhas de mandioca, pistache e amêndoas. Mas o sonho secreto é um só, bater a boulangerie Julice em qualidade. A meta é ousada, mas se depender dos pães de avelã (R$ 39,90 o kg) e semente de abóbora (R$ 44,90 o kg) que provei recentemente, devo dizer que eles estão quase lá.

Pães de semente de girassol e avelã da Mr. Baker: na luta para serem reconhecidos como os melhores de São Paulo

Pães de semente de girassol e avelã da Mr. Baker: na luta para serem reconhecidos como os melhores de São Paulo

Não deixem de provar também os pães de figo e pistache com damasco, que costumam sair nos fins de semana, e a torta árabe, com vários tipos de castanhas e frutas secas cobertos com um caramelo suave e delicioso.

Serviço:
Mr. Baker
R. Pedroso Alvarenga, 655, Itaim Bibi, São Paulo (SP)
Tel: (11) 3078-0045

Posts Relacionados:

Sucos verdes para turbinar o detox

Comer bem, de forma equilibrada e o mais natural possível sempre se soube ser a fórmula para uma vida saudável. Mas, ao invés disso preferimos nos entupir de porcarias industrializadas, doces, frituras e depois de remédios e vitaminas para tentar salvar o estrago. Pois entrei numa nova fase e resolvi dar chance à onda dos sucos (orgânicos, claro) para ajudar a controlar as mazelas.

Variedade de cores e sabores na Press Juice

Variedade de cores e sabores na Press Juice

Um dia só de  líquidos para faxinar a tubulação; limão, abacaxi, aipo e pepino pra desinchar; beterraba, couve e leite de castanha para dar energia; gengibre, pimenta e flor de hibisco pra tentar perder uns quilinhos. As combinações são diversas e podem levar até mesmo grãos como a chia e a aveia, que ajudam na saciedade e na desintoxicação, além de serem ótimos antioxidantes.

Existem no mercado inúmeras empresas que vendem esses sucos prontos, com ingredientes prensados a frio (o que garante nutrientes por mais tempo), em misturas com nomes sugestivos como “Apple Dream”, “Máquina do Tempo” e “Amo meu Coração”. Mas a verdade é que se você comer certinho e fizer um desses sucos para o café da manhã, com ingredientes fresquinhos que estiverem disponíveis na geladeira, conseguirá efeito bem semelhante e não gastará uma fortuna, já que cada garrafinha de 500 ml costuma custar, em média, R$ 17.

Urban Remedy: agora com loja no Shopping Iguatemi

Urban Remedy: agora com loja no Shopping Iguatemi

Mas se você não tem tempo (ou paciência) para isso, aí vão algumas opções que testei ou e foram muito bem recomendadas:

- Press Juice – A loja na Haddock Lobo é pequenininha, mas é impossível sair de lá sem pelo menos um. O de maçã com pimenta caiena é delicioso.

- Urban Remedy – A marca americana, que tem Cindy Crawford como garota-propaganda tem apelo claro ao emagrecimento. Mas, e daí? A gente também. É possível fazer os pedidos pelo site ou na loja aberta no início do ano no Shopping Iguatemi da Faria Lima.

- Uuulalá – Quem já fez a dieta detox deles garante que não dá pra sentir fome. A venda é feita exclusivamente pelo site e a entrega em até 48 horas.

Bisou: pra fazer com dieta ayurvédica

Bisou: pra fazer com dieta ayurvédica

- Bisou – Com uma pegada ayurvédica, a Bisou não tem site, mas os pedidos podem ser feitos pelo Facebook. Ao contrário das demais, as embalagens deles são de vidro retornável, o que garante desconto na segunda compra.

- Esperanzza – Pra não dizer que sou bairrista, aí vai uma alternativa no Rio. O Esperanzza trabalha com sistema de assinatura, que garante a entrega diária dos sucos por um mês.

Posts Relacionados:

Simplicidade de dar água na boca

Semana passada uma foto incrível do Instagram @healthyfoodporn fez minha boca encher de água. Repliquei-a no Insta do Conta-gotas e no fim de semana resolvi replicá-la em casa. A receita não poderia ser mais simples: um pote de iogurte grego, frutas vermelhas frescas, geleia ou coulis das mesmas frutas e granola, tudo devidamente arrumado em camadas que se repetiam, num copinho transparente.

A foto original que me inspirou e o resultado caseiro. Ok, não ficou melhor, mas fez um sucesso danado

A foto original que me inspirou e o resultado caseiro. Ok, não ficou melhor, mas fez um sucesso danado

Simples e delicioso, como tudo deveria ser. Virou hit em casa e também nas redes sociais e me fez pensar como é fácil transformar algo comum, que poderia passar despercebido, em uma coisa muito especial. Basta um pouco de atenção, cuidado, carinho e vontade de fazer diferente (e melhor). Afinal, a felicidade mora nos pequenos detalhes, não é?

Posts Relacionados:

O que é que a Polônia tem?

O que vêm à mente quando se fala de Polônia? O Papa? Varsóvia? Lech Walesa? Seja lá o que for, duvido que design esteja entre as suas três primeiras associações. Pois uma exposição em São Paulo, dentro da programação da DW! Design Weekend, pode começar a mudar isso. De 14 e 17 de agosto, no terceiro piso do Shopping Cidade Jardim, serão apresentados produtos de mais de dez marcas que expressam a cultura material, a história e o desenvolvimento atual da Polônia.

desig polones (3)

A cabeça de alce de vidro, feita pela designer Agnieszka Bar convida a “domesticar” e compor os cantos da casa de forma inusitada

 

Batizada “The Spirit of Poland”, a mostra traz por exemplo, o trabalho único de Agnieszka Bar, especializada em produtos de vidro, os móveis infláveis da Malaflor, os utilitários decorativos da Studio Robot e as joias da Takk. Tudo com uma pitada de ecológico e um toque clean típico do design escandinavo, já festejado por aqui.

O Sofá Blow, primeiro de uma série de móveis infláveis e superdescolados da Malafor

O Sofá Blow, primeiro de uma série de móveis infláveis e descolados da Malafor

Em novembro a mostra renasce em Brasília, ainda se local definido. Fiquem de olho no site.

Inspirada na arte do origami, a cadeira Diago foi criada pelo estúdio Tabanda em madeira e alumínio

Inspirada na arte do origami, a cadeira Diago foi criada pelo estúdio Tabanda em madeira e alumínio moldado e colorido

Posts Relacionados:

Novidades no Dalva e Dito

Famoso pela galinhada, que meio sem querer virou atração da casa de cozinha brasileira comandada pelo chef Alex Atala, o Dalva e Dito traz novidades. Pontos principalmente para quem não sabia onde matar a saudades do pato no tucupi paraense, em São Paulo. A receita (R$ 72) entra no cardápio para engrossar as opções com mais “sustância”, juntamente como o escondidinho de porco (R$ 55) e a perna de bode com pirão de leite (R$ 75). E para acompanhar a volta do cuscuz paulista com camarões (R$ 32).

Pato no tucupi: clássico paraense feito com maestria no Dalva e Dito

Pato no tucupi: clássico paraense feito com maestria no Dalva e Dito

Os que não querem sair da linha também ganham uma ajudinha com a chegada da churrasqueira recém-adquirida, de onde saem picanhas (R$ 78), bistecas (R$ 170 para duas pessoas) e espetinhos de carne (R$ 55). Todos acompanhados de farofa e vinagrete.

Misto de petiscos: perfeitos para comer com mix de pimentas Baniwa

Misto de petiscos: perfeitos para comer com mix de pimentas Baniwa

Mas quem não se preocupa com moderações – o que é altamente recomendado a quem se lança aos prazeres da mesa – não pode deixar de provar o misto de petiscos, com minipastéis de vatapá, bolinho de arroz, palitos de mandioca frita e empadinha de palmito, na entrada (R$ 32) e a torta de requeijão com calda de jabuticaba, uma versão abrasileirada – e deliciosamente cremosa – da clássica cheesecake (R$ 23).

Torta de requeijão com calda de jabuticaba: de comer ajoelhada

Torta de requeijão com calda de jabuticaba: de comer ajoelhada

Posts Relacionados:

Sorvete também no inverno

Sorvete definitivamente não é coisa só de verão. Mas já que tem gente que precisa de um estímulo extra para encarar um gelatto artesanal nos dias mais frios, a dupla Thomas Zander e Fernanda Bastos, da sorveteria Frida & Mina (eleita pela revista Veja São Paulo como a melhor da cidade em 2013) criou um cardápio especial para ir além da casquinha. As bolas podem vir acompanhadas por um brownie (R$ 12) – a cada dia será oferecida uma versão diferente –, ou mergulhadas em uma caneca de café ou chocolate quente (R$ 10).

Brownie artesanal servido com sorvete na Frida e Mina

Brownie artesanal servido com sorvete na Frida & Mina: cada dia um sabor diferente. Foto: divulgação

Não quer mesmo tomar sorvete? Tudo bem, a casa localizada no bairro de Pinheiros, também terá chocolate quente (R$ 7) feito com chocolate AMMA 45% cacau e quatro opções de chá trazidos diretamente da China: jasmim, branco, oolong e preto (R$ 5). Tudo para trazer mais sabor ao inverno.

A casa ainda terá o clássico afogado em duas versões: chocolate e café

A casa ainda terá o clássico afogado em duas versões: chocolate e café. Foto: Divulgação

E chocolate quente com chocolate AMMA 45% cacau pra esquentar a mão, o corpo e a alma

E chocolate quente com chocolate AMMA 45% cacau pra esquentar a mão, o corpo e a alma. Foto: Divulgação

 

Posts Relacionados:

Paisagem à mesa

Frente à beleza do lago Liconi, no centro do Valle d’Aosta, nos Alpes italianos, o designer italiano Pierfrancesco  Cravel não titubeou e decidiu replicar a paisagem a 2.555 metros acima do nível do mar, com vista para o Mont Blanc, para suas criações.

Valle d’Aosta, nos Alpes italianos, serviu de inspiração para o designer

Valle d’Aosta, nos Alpes italianos, serviu de inspiração para o designer

O resultado é o centro de mesa “Liconi”, feito em aço inox criteriosamente moldado pela marca italiana Alessi. Com 35 cm de comprimento, a peça – que também pode ser usada como fruteira pelos corajosos e insensíveis à arte – pode ser encontrada na Amazon por US$ 215.

A chapa de aço inox moldado deu origem à reprodução do vale para decorar a casa

A chapa de aço inox moldado deu origem à reprodução do vale para decorar a casa

Posts Relacionados:

Clos de Tapas retoma simples prazer de comer

Do mesmo grupo do Kinoshita e Attimo, o Clos de Tapas nasceu para ser uma referência da moderna cozinha espanhola. O que incluía espumas, esferificações e apresentações surpreendentes em pequenas porções (tapas). Tudo, verdade seja dita, com muito sabor. Mas com a saída da chef Ligia Karazawa, em dezembro de 2013, o proprietário Marcelo Fernandes decidiu abrir mão das estripulias para apostar em pratos bem servidos com clássicos da Península Ibérica.

As entradas agora podem ser compartilhados, como o saboroso polvo a galega (R$ 58)

As entradas agora podem ser compartilhados, como o saboroso polvo a galega (R$ 58)

Para isso trouxe o chef Juca Duarte, ex-braço direito de Ligia, que já assina o novo menu da casa. Ao lado do fideua com frutos do mar (R$ 73) surge o arroz de pato (R$ 88), o leitão confitado (R$ 69), o cordeiro com mil-folhas de mandioquinha e bacon (R$ 78) e o cuscuz marroquino com robalo, vieiras e camarão (R$ 79).

Camarões grelhados com pupunha (R$ 41): simplicidade com gostinho de praia

Camarões grelhados com pupunha (R$ 41): simplicidade com gostinho de praia

Nas entradas e sobremesas, o minimalismo das porções também desaparece, para alegria de todos, tornando o restaurante mais atraente não só para grandes ocasiões.

Veja alguns dos pratos do novo menu.

Cordeiro da Patagônia com mil folhas de mandioquinha e bacon (R$ 78)

Cordeiro da Patagônia com mil folhas de mandioquinha e bacon (R$ 78)

Lulas e minipolvos empanados. Petisco perfeito servido com molhinho de cambuci (R$ 37)

Lulas e minipolvos empanados. Petisco perfeito servido com molhinho de cambuci (R$ 37)

Fideua com frutos do mar (R$ 73) um dos poucos pratos que ficaram do menu antigo

Fideua com frutos do mar (R$ 73) um dos poucos pratos que ficaram do menu antigo

Cuscuz marroquino com camarão rosa, vieiras canadenses, lula e robalo (R$ 79)

Cuscuz marroquino com camarão rosa, vieiras canadenses, lula e robalo (R$ 79)

Gaspacho frio de morango, iogurte, brioches e gelatina de vodca (R$ 25)

Gaspacho frio de morango, iogurte, brioches e gelatina de vodca (R$ 25)

Alfajor de doce de leite com bolinho de chuva e sorvete de coco queimado (R$ 27). Pitada do sub-chef argentino Juan Rigo

Alfajor de doce de leite com bolinho de chuva e sorvete de coco queimado (R$ 27). Pitada do sub-chef argentino Juan Rigo

Posts Relacionados:

Cinco restaurantes para não perder no Rio de Janeiro

Já faz alguns anos que a cena gastronômica no Rio vem competindo quase de igual para igual com a paisagem. E tem coisa mais prazerosa do que comer bem com uma pela vista, ou depois de satisfazer as papilas, ajudar a digestão com uma caminhada de encher os olhos? Pois aí vai um miniroteiro de restaurantes que estão ajudando a Cidade Maravilhosa a ser ainda mais atraente.

- Mauá
Localizado no último andar do MAR, Museus de Arte do Rio, inaugurado em 2013 em meio ao caos das obras que ainda tomam o entorno da Praça Mauá, o restaurante aposta em pratos moderninhos à base de ingredientes brasileiros e não decepciona. Aposte no espagueti de pupunha com frango recheado com queijo manteiga e bacon, com vinagrete de tamarindo. De sobremesa, não deixe de provar o bolinho de chuva com doce de leite e amêndoas. Na verdade, vale a pena ir lá só pra comê-los e ver a incrível arquitetura do novo museu.

Espagueti de pupunha com frango com bacon, recheado com queijo manteiga e vinagrete de tamarindo, no Mauá

Espagueti de pupunha com frango com bacon, recheado com queijo manteiga e vinagrete de tamarindo, no Mauá

Bolinho de chuva mais leve que o ar, com doce de leite, crocante e amêndoas, no Mauá. Sobremesa pra sair voando

Bolinho de chuva mais leve que o ar, com doce de leite, crocante e amêndoas, no Mauá. Sobremesa pra sair voando

- Pipo
Do chef Felipe Bronze, a casa na rua Dias Ferreira (número 64)tem pretensões de ser boteco, mas está mais para uma lanchonete moderninha (esqueça a cozinha molecular aqui), com pratos pra compartilhar e porções bem boas, a preços nada camaradas (mas vale a pena). Pontos para o porquinho laqueado ao gengibre e tucupi e o inesquecível sanduíche de ostra empanada. Pequena que era tão pequenininho!

Sanduíche de ostra empanada com maionese de ostra. Por que mesmo não tem versão maxi?

Sanduíche de ostra empanada com maionese de ostra. Por que mesmo eles não fazem uma versão maxi?

Porquinho marinado no tucupi com moyashi, no Pipo. Grata surpresa

Porquinho marinado no tucupi com moyashi, no Pipo. Grata surpresa

- CT Boucherie
Claude Troisgros é sinônimo de boa comida no Rio. Com quatro casas em formatos que combinam a informalidade do carioca, com a qualidade francesa, o chef do programa “Que Marravilha”, da GNT, nunca decepciona. Na Boucherie, o foco são as carnes. Você escolhe um corte e se delicia com os acompanhamentos que chegam aos pouco, e sistema de rodízio, servidos na própria panela ou assadeira. Não deixe de provar os legumes na manteiga, a farofa de pão e o purê de maçã.

Absolutamente tudo no CT Boucherie é delicioso. Claude, me ensina a fazer a farofa de pão?

Absolutamente tudo no CT Boucherie é delicioso. Claude, me ensina a fazer a farofa de pão?

- Reserva TT Burger
Seguindo a mesma verve do pai, o jovem chef Thomas Troisgros inovou com sua lanchonete gourmet, no Arpoador. O cardápio só tem um único hambúrguer, que você pode desconstruir e tirar algo que não lhe agrade (nem pense em fazer isso com o picles de chuchu ou o catchup de goiabada. São deliciosos!). De vez em quando o sanduíche ganha um ingrediente surpresa para sair da mesmice e provar que é possível ficar ainda melhor. Mas importante mesmo é pedir o milkshake (que eles chamam de Sacode) de doce de leite com flor de sal. Inesquecível.

Milkshake, ou Sacode, como eles gostam de chamar, de doce de leite com flor de sal, no TT Burger. Combinação perfeita

Milkshake, ou Sacode, como eles gostam de chamar, de doce de leite com flor de sal, no TT Burger. Combinação perfeita

- Roberta Sudbrack
Um dos restaurantes mais conceituados – e caros – do Rio, a casa da chef Roberta Sudbrack é daqueles dignos de celebrações e pompas. Às sextas-feiras, na hora do almoço, é possível provar o menu degustação (com entrada, prato principal – uma das opções é o picadinho que ela servia para o ex-presidente FHC no Planalto – e sobremesa), por R$ 155. Mas, pelo preço, deixa a desejar. Não que não seja bom, longe disso, mas talvez se tenha mais espaço para surpresas memoráveis à noite, quando a variedade de pratos é maior.

Costelinha de alfaiate com purê de batata feito por Roberta Sudbrack. De derreter na boca.

Costelinha de alfaiate com purê de batata feito por Roberta Sudbrack. De derreter na boca

* Imagens: Juliana Bianchi

Posts Relacionados:

Natureza vira arte reciclada

Uma fileira de formigas graúdas, verdes, azuis ou vermelhas, caminhando sobre um galho de madeira sobre o aparador da sala ajuda a lembrar que a natureza ainda sobrevive lá fora. Colorida, alegre e cheia de força própria. Assim é o trabalho do artista plástico Pedro Malvão, que há quase 15 anos deixou um emprego formal de lado para dar assas ao seu lado criativo.

A série Tartarugas, feita com madeira reaproveitada. Foto: reprodução Facebook/Pedro Malvão

A série Tartarugas, feita por Pedro Malvão com madeira reaproveitada. Foto: reprodução Facebook/Pedro Malvão

Primeiro munido de cola e papel, depois reaproveitando todo tipo de sucata e pedaços de madeira encontrados nas praias e matas de Paraty, ele vem dando vida a formigas, borboletas, arraias e pererecas coloridos em sua arte ecológica incomparável.

formigas

Olha as formigas do Pedro aí. Não dá até vontade de ter a casa invadida?

Com peças espalhadas pela Europa, Estados Unidos, Canadá, Japão e América Latina, Pedro surpreende pela delicadeza, seja em peças pequenas ou gigantes, muitas delas feitas com elaborado trabalho de machetaria, que podem custar mais de R$ 30 mil. Sem dúvida, uma ainda mais nobre de unir arte e sustentabilidade.

Uma das pererecas psicodélicas de papel machê feitas por Pedro Malvão

Uma das pererecas psicodélicas de papel machê feitas por Pedro Malvão

Pra ter uma ideia do lindo trabalho em madeira

Pra ter uma ideia do lindo trabalho em madeira machetada

Posts Relacionados: