5 razões para ir ao Uruguai

postado em: Viagens | 0

Quem acompanha o Conta-Gotas também pelo Instagram já sabe que o tempo que fiquei sem atualizar o blog teve um bom motivo: férias. A princípio pensei em ir para o Nordeste, mas com a passagem para Recife custando mais do que para fora do País, decidi que era hora de me redimir e finalmente conhecer as belezas do vizinho Uruguai. Mas descobri que o encanto do país vai muito além do que me falavam. Por isso resolvi listar abaixo não os motivos que me levaram para lá, mas os que me fariam voltar, sem nenhuma sombra de dúvida. Aí vai.

– A parrilla

Pra sair do lugar-comum, parrilla de polvo
Pra sair do lugar-comum, parrilla de polvo

A fama da carne uruguaia já é bem conhecida, e merecida. Mas surpreendente mesmo foi descobrir o sabor incrível de embutidos como a morcilla doce (valeu pela insistência Marcinha!), de miúdos, como as molejas (ou timo, para nós), de legumes (o pimentão é imperdível), da inacreditável picanha (que lá é um corte um pouco diferente e ainda mais saboroso) e, principalmente, do polvo feito nas parrillas. Sério, tem que experimentar.

– Os vinhos

Adega Pisano: visitas apenas agendadas
Adega Pisano: visitas apenas agendadas

Se o simples fato de conhecer os vinhos produzidos com uva tannat na origem não bastam para você se animar, fique sabendo que a combinação das carnes com os taninos bem domados dessa uva típica é simplesmente perfeita. Além disso, a região vinícola fica pertinho de Montevidéu, o que significa que dá pra fazer um bate e volta etílico com facilidade. A Pisano, uma das melhores do país não faz visitas turísticas, mas se você ligar agendando eles dão um jeito de te receber, mostrar as instalações e vender os vinhos a preços incrivelmente camaradas. Para almoçar, a Bouza é uma ótima pedida.

– O rio que é mar

A imensidão do rio da Prata
A imensidão do rio da Prata

Não dá pra ter ideia da grandiosidade do rio da Prata até vê-lo. Eu imaginava algo como o rio Amazonas, que de uma margem você mal vê a outra, mas o Prata é ainda mais largo e de váaaarios pontos você simplesmente não vê nada do outro lado. Parece mar mesmo, circundando várias reentrâncias de terra, o que torna possível estar em uma esquina e vê-lo no fim de todas as ruas. A única diferença é a cor barrenta. Emocionante.

– A possibilidade de curtir os lugares sem aglomeração

Na planície uruguaia, um mundo desabitado e em paz
Na planície uruguaia, um mundo desabitado e em paz

O Uruguai todo tem pouco mais de 3 milhões de habitantes, isto é, um quarto do povaréu que vive na cidade de São Paulo. Só isso já dá uma boa ideia de como é tranquilo circular por lá. Seja nas praias, no centro de Montevidéu ou nas estradas. Como disse o Alê, meu marido, fã da série “The Walking Dead”, o Uruguai seria o lugar perfeito para se esconder de um ataque zumbi. Com a vantagem de que se trata de uma planície.

– A natureza rústica e surpreendente
Nesse ponto não dá pra falar muito, tem que ver pra entender.

As inconfundíveis dunas do litoral uruguaio
As inconfundíveis dunas do litoral uruguaio
Pôr-do-sol em Punta del Este, imperdível
Pôr-do-sol em Punta del Este, imperdível
O litoral selvagem de Punta Ballena
O litoral selvagem de Punta Ballena

E para quem tem cogitado ir pro Uruguai apenas estimulado pela liberação da maconha,  pode esquecer.  A proposta do presidente ainda não está valendo e acender um baseado por lá continua sendo crime.

Conto mais detalhes nos próximos posts.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *