Cachaça também pode ser sofisticada

postado em: Gourmet | 0

Que me perdoem aqueles que ainda torcem o nariz quando o assunto é cachaça, mas vocês estão muito por fora. Não tem nada mais delícia do que pontuar um happy hour com os amigos com uma branquinha de boa procedência. E olha que a tarefa tem se tornado das mais difíceis. Basta ver o tamanho da carta do restaurante Mocotó, do bar Filial ou do Empório Sagarana (para citar alguns).

Agora, pra ajudar a acabar de vez com o preconceito e provar que a nossa bebida mais típica pode fazer frente a outros destilados amplamente utilizados na coquetelaria, a Ypióca reuniu 11 craques da mixologia para criar drinques que fossem muito além da caipirinha. O resultado não poderia ser melhor.

Apresentação sofisticada do Marinha Cocktail, de Kennedy Nascimento, do Epice, e o "drink de evolução" de Jean Ponce, do D.O.M. e do Riviera Bar.  / Foto: divulgação
Apresentação sofisticada do Marinha Cocktail, de Kennedy Nascimento, do Epice, e o “drink de evolução” de Jean Ponce, do D.O.M. e do Riviera Bar. / Foto: divulgação

O mestre Derivan Ferreira, do bar Número, se inspirou no clássico “Iracema”, de José de Alencar, para fazer uma mistura com mel, cachaça, licor de gianduia, creme de leite e castanha de caju. Jean Ponce, do D.O.M e do bar Riviera, apostou em um “drink de evolução” (nunca tinha ouvido falar nisso) com Ypióca Ouro Reserva Especial, licor de caramelo, vermute, casca de limão e pó de beterraba.

Cajurita, criação de Rafael Mariachi, do Anexo São Bento e o Sour da Terrinha, do simpatisíssimmo Laércio Zulú, do La Maison Est Tombée / Foto: divulgação
Cajurita, criação de Rafael Mariachi, do Anexo São Bento e o Sour da Terrinha, do simpatisíssimmo Laércio Zulú, do La Maison Est Tombée / Foto: divulgação

Rafael Mariachi, do Anexo São Bento, valeu-se de cajuína, bitter de chocolate, limão, cachaça e flor de sal para criar o Cajurita, servido em taça Martini. E Laércio Zulú, o La Maison Est Tombée, fez um Sour da Terrinha com cachaça ouro, xarope de castanha-do-Brasil, limão galego, clara de ovo, bitter e farofa de castanha com urucum.

Até julho, todos as criações podem ser degustadas nos bares e restaurantes onde os respectivos bartenders trabalham (veja a lista completa), mas quem quiser já ir testando o drinque em casa encontra a receita do Sour da Terrinha no vídeo aqui em baixo.

Leia também:

– Happy hour saudável no The Gourmet Tea
– Chocolate com vinho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *