Guia para a 1ª viagem a Viena

postado em: Viagens | 0

Meu lugar no mundo sempre foi Paris. Com sua iluminação dourada, seus prédios históricos bem conservados, suas centenas de museus, cafés, bistrôs e linhas de metrô. Era tudo que eu queria para viver feliz. Mas isso foi até conhecer Viena e seus parques, seus concertos ao ar livre, sua gente… e sua iluminação dourada, seus prédios históricos bem conservados, suas centenas de museus, cafés e bistrôs. Não à toa, em 2011, foi eleita a melhor cidade do mundo para se viver.

Não tem coisa mais vienense que arrumar um cantinho nas inúmeras áreas verdes para ouvir música, ler ou fazer um piquenique
Não tem coisa mais vienense que arrumar um cantinho nas inúmeras áreas verdes para ouvir música, ler ou fazer um piquenique

A melhor época para ir a Viena é, sem dúvida, a primavera, quando a neve que invariavelmente cobre a cidade no inverno já foi embora, as tulipas já estão brotando nos parques e a temporada de concertos – muitos deles ao ar livre e de graça – começa (veja a programação). Não tem coisa mais vienense que arrumar um cantinho no gramado da Praça da Prefeitura, da Karlsplatz ou de uma das 2 mil áreas verdes da capital, para ouvir música clássica, ler ou ver um filminho.

Olha que dignidade, a tábua de frios da feirinha vem com base de madeira e faca de verdade. Depois é só devolver
Na feirinha, os frios vem com tábua de madeira e faca de verdade. Basta devolver

Aproveite para fazer um piquenique à base de salsichas (teste várias nas barraquinhas de rua mesmo), embutidos variados e vinho local (sim, Viena tem vinhedos ainda no perímetro urbano. Prefira os brancos).

Se puder, prove também as cervejas e o ponche com framboesa feito com vinho espumante. É viciante e levinho.

Para quem vai pela primeira vez à cidade outros programas também são obrigatórios, como:

1- Conhecer a Ópera Estadual (mesmo se você não gosta de ópera)
Conhecer a Ópera Estadual (mesmo se você não gosta de ópera)
Visitar cada metro quadrado do Palácio de Schönbrunn sentindo-se a própria Sissi, a imperatriz. Construído para ser o palácio de verão dos Habsburgo, ele foi todo inspirado em Versailles, inclusive os jardins
Visitar o Palácio de Schönbrunn sentindo-se a própria imperatriz Sissi. Construído para ser casa de verão dos Habsburgo, ele foi todo inspirado em Versailles, inclusive os jardins
Ir ao Palácio Belvedere e ter a honra de ver de pertinho as obras de Gustav Klimt
Ir ao Palácio Belvedere e ter a honra de ver de pertinho as obras de Gustav Klimt
Perder a hora entre as barracas e restaurantes do Naschmark. Aproveite para provar um típico schnitzel
Perder a hora entre as barracas e restaurantes do Naschmark. Aproveite para provar um típico schnitzel
Fazer uma pausa no Café Central, onde Freud e Trotsky costumavam ir, para admirar sua arquitetura e decoração originais de 1876. Difícil será escolher entre as dezenas de doces e cafés
Fazer uma pausa no Café Central, onde Freud e Trotsky costumavam ir, para admirar sua arquitetura e decoração de 1876. Difícil será escolher entre as dezenas de doces e cafés
Admirar a perfeita harmonia entre o moderno e o clássico nas margens do Danúbio. Isso vale para os prédios, os restaurantes, o convívio harmonioso de carros e bicicletas e os grafites
Admirar a perfeita harmonia entre o moderno e o clássico nas margens do Danúbio. Isso vale para os prédios, os restaurantes, o convívio de carros e bicicletas e os grafites
O tempo será curto para visitar todos os museus próximos ao Palácio Imperial de Hofburg e ao MuseumsQuartier? Visite-os pelo menos por fora e repare na beleza das obras expostas ao ar livre e na movimentação da cidade em torno deles
O tempo será curto para visitar todos os museus próximos ao Palácio Imperial de Hofburg e ao MuseumsQuartier? Visite-os pelo menos por fora e repare na beleza das obras expostas ao ar livre e na movimentação da cidade em torno deles
Voltar no tempo no Prater, um parque de diversões datado de 1766 quase às margens do Danúbio. E o melhor, você só paga o brinquedo que escolher. Não há entrada
Voltar no tempo no Prater, um parque de diversões datado de 1766 quase às margens do Danúbio. E o melhor, você só paga o brinquedo que escolher. Não há entrada
Ver a cidade do alto da Torre do Danúbio, um mirante de 252 metros, no meio do Donaupark que dá vista 360º. Escolha um dia bem claro
Ver a cidade do alto da Torre do Danúbio, um mirante de 252 metros, no meio do Donaupark que dá vista 360º. Escolha um dia bem claro
Perder-se pelas ruas do centro histórico, conhecido como Ring, até encontrar a Catedral de Saint Stephan, datada de 1147. Quando estive lá, uma exposição com luzes psicodélicas davam ar de balada ao local histórico
Perder-se pelas ruas do centro histórico, conhecido como Ring, até encontrar a Catedral de Saint Stephan, datada de 1147. Quando estive lá, uma exposição com luzes psicodélicas davam ar de balada ao local histórico

Se ainda sobrar tempo, invista em uma visita ao borboletário do Burggarten (Schmetterlingshaus), às vinícolas – onde é possível fazer tours guiados e degustações – e aos restaurantes de comida típica, como o Plachuttas, pertinho da Ópera. Quanto à famosa Sacher Tarte, depois de provar algumas, parei de ganhar calorias à toa. Tem “tortas”, ou bolos, muito melhores por lá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *