Memória afetiva

postado em: Gourmet, Pequenos Prazeres | 1
Num gole de tubaína, a volta a uma época mais suave
Num gole de tubaína, a volta a uma época mais suave

Esta semana, recebi um e.mail do pessoal da Itubaína Retrô falando sobre uma exposição de fotos antigas no Mercadão de São Paulo, que irá homenagear os 459 anos da cidade e os 80 do local. Na hora, as imagens e sabores se juntaram na minha mente e, num instante estava de volta à mercearia do meu avô, no interior de São Paulo, onde a tubaína reinava absoluta entre os refrigerantes (eu nem sabia o que era Coca-Cola!).

O gosto era mais doce do que o que encontro hoje, mas a sensação é de que tudo naquela época era igualmente mais adocicado. Do Dadinho (feito mesmo com amendoim e não com essa massa gordurenta que tem por aí) à maria-mole, que por vezes vinha recoberta com chocolate (ruim, mas ainda assim, bom).

A vida era mais leve, mais livre, mais carinhosa. Sentimentos que voltam imediatamente com um gole de tubaína ou uma mera paçoca de rolha.

Você também volta ao passado com algum sabor? Escreva pra gente contando.

Esta foto é do armazém de secos e molhados do Seu Josias Araújo, de Jardim de Piranhas, no Rio Grande do Norte, mas bem poderia ser a do meu avô. Igualzinha
Esta foto é do armazém de secos e molhados do Seu Josias Araújo, de Jardim de Piranhas, no Rio Grande do Norte, mas bem poderia ser a do meu avô. Igualzinha

  1. Lu Palmieri

    Ju,

    A tubaína é campeã em trazer à memória nossa infância, sem dúvida. É pensar na danada e bam! estou no interior, na calçada de uma rua qualquer, acompanhada pela minha prima, indo talvez pela primeira vez na vida sem a companhia de um adulto (me achando muito importante), comprar uma garrafa.
    Mas há outros sabores que cumprem esse papel facilmente, como misto quente (feita naquelas sanduicheiras que iam direto na chapinha do fogão) já meio morno com coca-cola quase sem gás, levados de lanche para a escola – por isso nessas condições e era meu lanche favorito e requeijão puro, comido assim mesmo de colher.
    Acho que é isso!
    Cheers!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *